Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique



ABC

BASEADO NA
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DUDH Principal | Versão Integral | Versão Resumida | Versão Popular | Versão Cordel | História da Declaração | ABC Declaração | Textos e Reflexões | Artigos Comentados | Áudios I | Áudios II | Vídeos | Exposição I | Exposição II | Edição Histórica CESE | Carta da Terra | Sistema Global ONU | ABC da ONU | CD-ROM Multimídia

A Humanidade avançou

ao ter a DECLARAÇÃO

UNIVERSAL DOS DIREITOS

HUMANOS... Pena é que não

seja cumprida essa Lei

de alto sentido cristão.

Bonitos são os dizeres.

diversa a realidade.

Pois, se "todos nascem livres

e iguais em dignidade

e direitos"... faltam Amor,

Justiça, Fraternidade...

Cor ou sexo, raça ou língua,

religião, credo, enfim

nada deve empecilhar

possa o ser humano, assim,

de gozar de seus direitos,

que lhe são sagrados, sim.

Direito à vida, direito

à liberdade e, afinal,

direito que lhe garanta

segurança pessoal.

Como ter esses direitos

na Injustiça Social?

E como servo ou escravo

ninguém pode ser mantido.

Toda escravidão é crime.

Para sempre é proibido

o vil tráfico de escravos,

em todo e qualquer sentido.

Fazer alguém padecer

tortura, cruel castigo,

tratamento desumano,

degradante, que em perigo

ponha a pessoa, condena

desta Lei o 5º artigo.

Garante a DECLARAÇÃO

o direito ao humano ser

de como pessoa humana

em qualquer lugar se ver

reconhecido, perante

a lei, onde possa haver.

Haja Eqüidade, Justiça

em todos os tribunais

garantindo a todos os

direitos fundamentais,

sanando arbitrariedades,

contra os atos ilegais.

Ilegal é ser alguém

arbitrariamente preso

ou detido ou exilado.

Que a Justiça mostre o peso,

sendo livre e imparcial,

e o direito saia ileso.

Jamais se puna o inocente.

Que conte todo acusado

com garantias da lei

pra não ser injustiçado.

Nunca exceda à lei a pena

na punição do culpado.

Lar é recinto sagrado

que a lei não violará.

Família, vida privada

e a correspondência há

de a lei lhes dar proteção.

A honra respeitará.

Mulheres e homens possuem

o direito de ir e vir,

e em qualquer lugar do mundo

são livres de residir,

podendo, à sua vontade,

em qualquer tempo sair.

Não se negue ao ser humano

asilo em qualquer país,

sempre que for perseguido

pelo que pensa e o que diz.

Respeitadas exceções

por crimes e atos vis.

O direito de casar-se

é do homem e da mulher,

fundando a sua família

sem empecilhos quaisquer

pela vontade de ambos,

cumprindo o humano mister.

Propriedade é direito

quando bem adquirida.

A que vem da exploração,

em prejuízo da vida –

deixando os outros sem nada –

não deve ser permitida!

Qualquer um tem o direito

de crer e manifestar

a sua religião

do jeito que mais gostar.

Também de não ter nenhuma,

sem que o possam condenar.

Respeite-se a liberdade

de pensar e de opinar

transmitir informações

e as idéias expressar

seja de que forma for,

neste ou naquele lugar.

Sagrado seja o direito

de se reunir em paz.

Que ninguém seja obrigado

a associar-se, se faz

questão de lutar sozinho,

uma vez que isso lhe apraz.

Todo o homem tem o direito

de ao governo ter acesso.

Só a vontade do povo

é que garante o progresso.

Sem eleições democráticas

só se espera o retrocesso.

Um ser humano que não

tem direito à segurança,

bens sociais, culturais,

dignidade, abastança –

o nível de humanidade

desejado não alcança.

Vida digna, trabalho

que lhe garanta o sustento.

Justa remuneração.

Seja o sindicato isento

de pressões, perseguições,

pelegos, constrangimento.

Xis é – para quem trabalha –

ter o seu repouso e, perto

o lazer, a diversão,

as férias no tempo certo.

Trabalhar – mas descansar,

sempre pela lei coberto.

Zelar pelo cidadão

a sociedade deve:

dar saúde e bem estar

e tudo o mais que se inscreve

no direito de viver...

que aqui só toquei de leve...

Paulo Nunes Batista

 

DUDH Principal | Versão Integral | Versão Resumida | Versão Popular | Versão Cordel | História da Declaração | ABC Declaração | Textos e Reflexões | Artigos Comentados | Áudios I | Áudios II | Vídeos | Exposição I | Exposição II | Edição Histórica CESE | Carta da Terra | Sistema Global ONU | ABC da ONU | CD-ROM Multimídia

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Curso de Agentes da Cidadania Direitos Humanos