O Comitê RN
 Atividades
 Linha do Tempo
 ABC Reprimidos
 ABC Repressores
 Comissões IPMs
 BNM Digital no RN
 Coleção Repressão
 Coleção Memória
 Mortos Desaparecidos
 Repressão no RN
 Acervos Militantes
 Bibliografia RN
 RN: Nunca Mais
 Áudios
 Videos
 Galerias
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Rede Mercosul
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Comitê Estadual pela Verdade, Memória e Justiça RN
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
Rua Vigário Bartolomeu, 635 Salas 606 e 607 Centro
CEP 59.025-904 Natal RN
84 3211.5428
enviardados@gmail.com

Envie-nos dados e informações:
DHnet Email Facebook Twitter Skype: direitoshumanos

 

Comissões da Verdade Brasil | Comissões da Verdade Mundo
Comitê de Verdade Estados | Comitê da Verdade RN

Inicial | Reprimidos RN | Mortos Desaparecidos Políticos RN | Repressores RN

 

Militantes Reprimidos no Rio Grande do Norte
Floriano Bezerra de Araújo

Minhas tamataranas: Linhas amarelas
Memórias de Floriano Bezerra de Araújo, Sebo Vermelho

As memórias de um brasileiro altivo: Floriano Bezerra “Minhas tamataranas: linhas amarelas – Memórias” Na vida, a gente perde, a gente ganha. O tempo, este amigo e inimigo é cruel. Quando vê, já passou. Ficam as recordações: boas e más. E desde sempre, o homem considera que o antes era bem melhor. Escrever sobre memórias não é fácil. É primeira pessoa nua e crua. Eu fico nú ou não escrevo “o que preste”. Floriano Bezerra decidiu ficar nú e nos brindou com “Minhas Tamataranas: linhas amarelas – Memórias”, um livro de quem sabe contar histórias, carregado de ternura e sem ódios. E olha que Floriano teve todos os motivos do mundo para conservar ódios. O livro, dividido em vinte e sete capítulos, narra suas memórias desde o quatro anos de idade – como ele mesmo diz – é a partir daí que se lembra das coisas, até seus recentes embates políticos. As narrativas das suas lembranças do sertão, nos idos de 30 são magistrais. Nos deixa cara a cara com os cheiros de mofumbos, xiquexiques, macambiras e o canto das águas, dos nambus, das corujas e da cruviana fria, gelada. Depois em Macau, num trabalho que era o sonho de muitos meninos ainda pequenos: botando água de calão. “Dava moral”. Era demonstração de força e poder. A iniciação sexual narrada sem biombos e meandros. Direto, como sempre foi sua trajetória. Na sequência, o que esteve sempre latente na sua vida: a luta contra as desigualdades sociais. A narrativa sempre precisa de seus embates sindicais, a lembrança dos companheiros de luta, dos amigos, dos adversários, enfim, daqueles que ele considerou significativos. Na vida, a gente perde, a gente ganha. Uns escolhem lutar para si mesmo. Outros escolhem lutar pelo coletivo. Floriano Bezerra escolheu o caminho da luta pelo coletivo e assim pautou sua vida. E é isso que ele registrou nesse livro de memórias. Ele é um daqueles milhares de nordestinos que não se conformaram com a opressão da classe dominante — representado pelas oligarquias locais — que determinaram manter o nordeste brasileiro como um depósito de mão-de-obra barata e disponível para as necessidades do exército de reserva do capitalismo. Contra a opressão e por um país livre, muitos pagaram com a vida, como o patriota Luiz Maranhão, Edson Quaresma e Emanuel Bezerra, dentre outros bravos potiguares. Mas alguns sobreviveram às torturas, às humilhações e às incompreensões, como Floriano Bezerra, Mery Medeiros e tantos outros e hoje podem contar a história. Não a história manipulada e falsificada pela ditadura. Não aquela que ainda hoje, reconhecidos torturadores e colunistas dedos-duros que vivem das sobras das mesas burguesas, ainda publicam nos jornais. “Minhas tamataranas: linhas amarelas – Memórias”, não deixam margem para dúvidas, especulações ou interrogações. É um livro sem véus, como o autor.

Dezembro de 2009

Claudio Guerra

^ Subir

< Voltar

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais