Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

O Parlamentar e os Direitos Humanos, Manual
Manual de orientação ao parlamentar municipal, estadual e federal para a atuação em defesa dos direitos humanos e da cidadania
Deputado Orlando Fantazzini


QUANDO O PARLAMENTO BRASILEIRO COMEÇOU A SE PREOCUPAR COM OS DIREITOS HUMANOS?

A preocupação com os direitos humanos é relativamente recente no parlamento brasileiro. A demanda por esse debate emergiu da ação dos parlamentares e militantes políticos que resistiram ao período da ditadura militar, marcado por arbitrariedades, torturas, execuções e desaparecimentos forçados de opositores políticos. Para essas lideranças políticas, a expressão “direitos humanos” significou um “escudo” contra a repressão e violação das garantias mais fundamentais da pessoa humana.

O processo de redemocratização, ocorrido a partir de 1985, permitiu que as instituições passassem a ser mais permeáveis e sensíveis aos direitos humanos.

Um marco importante do envolvimento do Brasil com os direitos humanos foi a participação ativa do país na Conferência Mundial de Direitos Humanos Viena (1993) .

O Estado brasileiro, aos poucos, vem incorporando a preocupação com a garantia dos direitos humanos. O parlamento brasileiro acompanhou esse processo de incorporação dos direitos humanos na ordem político-jurídica nacional. Alguns partidos políticos criaram instâncias para debater internamente os assuntos ligados aos direitos humanos e cidadania e formaram militantes e lideranças políticas para tratar das questões ligadas aos direitos humanos.

A Constituição Federal de 1988 ampliou significativamente os direitos sociais e ainda estabeleceu que os direitos individuais não poderão ser reduzidos, nem mesmo através de emendas constitucionais. Para a proteção dos direitos individuais, à nossa legislação previu os instrumentos do Habeas Corpus e do Mandado de Segurança. Já para os direitos sociais não há instrumentos jurídicos específicos capazes de garanti-los, uma vez que são prestações positivas proporcionadas pelo Estado de forma direta ou indireta.

Já os Estados e Municípios brasileiros começaram a constituir espaços dentro do próprio parlamento para debater os temas de direitos humanos e passaram a pleitear que o Congresso Nacional criasse um fórum nacional permanente para essas questões.

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar