Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Direitos Humanos e Cidadania
Sociedade Catarinense de Direitos Humanos

XXX

Finalmente, vejamos o Artigo XXX da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Artigo XXX

Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado â destruição de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.”

Volte ao Artigo 50 da Constituição da República Federativa do Brasil.

Embora ainda subsistam algumas criticas com relação aos ditames declaratórios, é forçoso reconhecer a importância da Declaração Universal dos Direitos Humanos como um divisor de águas na questão da positivação e fundamentalização dos direitos essenciais da pessoa humana.

Esse último dispositivo da Declaração Universal dos Direitos Humanos, tem a finalidade de reafirmar seus postulados, de afiançar direitos que, no Brasil, via de regra, são constitucionalizados no Parágrafo Segundo do artigo 50 da Constituição Federal. Visa essencialmente rechaçar qualquer pretensão de legitimidade que possa, de algum modo, se contrapor aos princípios e normas consignados naquele diploma internacional, impedindo a interpretação e, em conseqüência, a legalização de quaisquer atos que possam, sob qualquer pretexto, violar tais disposições.

Outrossim, a efetiva inserção internacional do Brasil no contexto da globalização, requer. prioritariamente. o aprimoramento do Estado democrático mediante a interseção normativa entre nosso diploma constitucional e o direito internacional, na permanente manutenção das garantias e dos direitos fundamentais da pessoa humana.

O realce definitivo à integração do ordenamento jurídico brasileiro às normas internacionais observa-se pela redação do parágrafo segundo do artigo quinto da Constituição Federal.”

(J.S. Fagundes Cunha - Os Direitos Humanos e o Direito da Integração)

Concluindo, cabe ressaltar, que a premissa de impositividade conferida aos Direitos Humanos através do presente preceito declaratório ocorre como subproduto natural, com vistas a sua mais efetiva garantia, sem o qual restariam como simples indicações ou recomendações compartimentais, vez que ausentes os mecanismos que pudessem abrigar não só uma visão social dada à época de sua proclamação, mas projetando essa garantia igualmente para o futuro.

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar