Declaração Universal
 Carta Direitos Humanos
 Sistema Global ONU
 ABC Declarações
 ABC da ONU
 Declaração Áudios
 Declaração Vídeos
 Declaração Textos
 Declaração Multimídia
 Fotográficas
 Pinturas
 Poesias
 Cantorias
 Cartazes
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias

Declaração Universal dos Direitos Humanos
Adaptação de Ruth Rocha e Otávio Roth

Um dia, uma porção de pessoas se reuniram. Elas vinham de lugares diferentes e eram, elas mesmas, diferentes entre si.Havia homens e mulheres; suas peles, seus cabelos e seus olhos tinham cores diferentes, assim como diferentes eram o formato de seus corpos e de seus rostos.

Vinham de países ricos e pobres, de lugares quentes ou frios. Vinham de reinados e de repúblicas. Falavam muitas línguas.Acreditavam em diferentes deuses.Alguns dos países que elas representavam tinham acabado de sair de uma guerra terrível, que tinha deixado muitas cidades destruídas, um número enorme de mortos, muita gente sem lar e sem família.

Muitas pessoas tinham sido maltratadas e mortas por causa de sua religião, de sua raça e de suas opiniões políticas.

O que reunia aquelas pessoas era o desejo de que nunca mais houvesse uma guerra, de que nunca mais ninguém fosse maltratado e que não se perseguissem mais pessoas que não tinham feito mal a ninguém.

Então elas escreveram um papel. Neste documento elas fizeram um resumo dos direitos que todos os seres humanos têm e que devem ser respeitados por todos os povos. Este documento é chamado Declaração Universal dos Direitos Humanos e diz mais ou menos o seguinte:
Todos os homens nascem livres.
Todos os homens nascem iguais e têm, portanto os mesmos direitos.
Todos têm inteligência e compreendem o que se passa ao seu redor.
Todos devem agir como se fossem irmãos.

Não importa qual seja a raça de cada um; tampouco importa que seja homem ou mulher; não importa ainda sua língua, religião, opinião política ou a família de que ele venha.

Não importa que ele seja rico ou pobre, nem que o país de onde ele venha seja uma republica ou um reinado. Estes direitos devem ser gozados por todos.

Todas as pessoas têm direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
Ninguém pode ser escravo de ninguém.

Não se pode maltratar as pessoas ou castiga-las de maneira cruel ou humilhante.

As leis devem ser iguais para todos e devem proteger todas as pessoas.

Todos os homens têm o direito de receber a proteção dos tribunais para que seus direitos não sejam contrariados.Não se pode prender as pessoas ou mandá-las embora de seus país, a não ser por motivos muito graves. Todo homem tem o direito de ser julgado por um tribunal justo quando é acusado de alguma falta.

Ninguém tem o direito de interferir na vida particular das pessoas, na sua família e na sua correspondência.

Toda pessoa tem o direito de se movimentar dentro das fronteiras de seu país. E tem o direito de sair e voltar ao seu país.

Ninguém deve ser privado de sua nacionalidade. Quer dizer, toda pessoa tem o direito de pertencer a alguma nação. E tem o direito de trocar de nacionalidade por sua vontade.

Todos os homens e mulheres, depois de certa idade, não importa sua raça, religião ou nacionalidade, têm o direito de se casar e começar uma família. Um homem e uma mulher só podem se casar se os dois quiserem.

Todas as pessoas têm direito à propriedade. E aquilo que uma pessoa possui não pode ser tirado dela, a não ser que haja um motivo justo.

Todas as pessoas têm o direito de pensar como e o que quiserem. Elas têm direito de trocar suas idéias e praticar sua fé em público ou em particular, e de contar a todos sua opinião.

Todas as pessoas têm o direito de se reunir ou de se associar, mas ninguém deve ser obrigado a isto.

A autoridade do governo vem da vontade do povo. O povo deve mostrar qual é a sua vontade pelo voto.Todas as pessoas têm o direito de votar.

Todas as pessoas têm direito ao tipo de trabalho que preferirem, e a boas condições de trabalho.

Todos devem receber remuneração igual quando fazem o mesmo trabalho e devem ganhar o suficiente para a saúde, alimentação e vestuário.Todo homem tem o direito ao descanso e deve ter um número de horas de trabalho limitado e férias pagas.

Todas as crianças têm os mesmos direitos, sejam ou não nascidos de um casamento.

Todas as pessoas têm direito a escola gratuita. Todos têm direito de aprender uma profissão. A escola deve promover o entendimento, a compreensão e a amizade.

Todos os homens têm deveres para com o lugar onde vivem e para com as pessoas que ali vivem também.

Não se deve usar o que está escrito neste documento para destruir os direitos e deveres aqui estabelecidos.

Há muitos anos esta declaração foi aprovada, mas ainda existem países que ainda não obedecem este documento. Para que isto aconteça, é preciso que todos aprendam nas escolas de todo o mundo, o conteúdo desta declaração.

< Voltar

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055-84-3221-5932 / 3211-5428 - Skype: direitoshumanos - dhnet@dhnet.org.br
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
Linha do Tempo
MNDH
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Rede Brasil de Direitos Humanos
Redes Estaduais de Direitos Humanos
Rede Estadual de Direitos Humanos Rio Grande do Norte
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Rede Lusófona de Direitos Humanos