Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

   


ENCONTRO NORTE-NORDESTE DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS CANTADO E REGISTRADO EM DIVERSOS VERSOS

por Júnio Santos

I

De 05 a 06 de agosto

No Recife aconteceu

O Encontro Norte-Nordeste

Que a REDE promoveu

Para ampliar o plano

Da educação em Direitos Humanos Nesse Brasil de meu Deus

II

O objetivo central

Foi reunir entidades

Mostrar as experiências

Narrar fatos e verdades

Promover a integração

Todos pela Educação

O direito e a liberdade

III

Logo no primeiro dia

Após a atrasada abertura

O Mestre Dalmo Dalari

Falou com envergadura

Sobre os novos desafios

Que teremos no Brasil

No século que se aventura

 

IV

Fez um relato histórico

Cheio de empolgação

Chamou de besta e burro

Quem é contra essa ação

Brincou com o imaginário

Com o momento revolucionário

Que vive a população

V

Depois mergulhou na história

E provou que o neoliberal

De novo não tem nada

Na verdade é um antigo mal

Que junto com a globalização

Explora a população

De uma forma infernal

VI

Para resumir expressou

Com o seu olhar sempre terno

Com sua voz de veludo

Com o seu gesto paterno

Que o neoliberalismo

É mero continuísmo

Do laboratório do inferno

 

VII

Deixou no final a lição

De uma forma bem dada

"Quem transforma o mundo

São as minorias determinadas"

Ele nunca será mudado

Nem tão pouco transformado

"Pela maioria acomodada"

VIII

A tarde as experiências

Começaram a ser retratadas

O Amazonas falou

Das dificuldades encontradas

O Acre entrou no choro

Entoou o mesmo coro

Cantou na mesma toada

IX

O Piauí nos mostrou

O Projeto PERIFERIA

Falou de Rádio e Novela

Da luta do dia – a – dia

Do aluno e do professor

Da Pastoral do Cantador

Do verso e da cantoria.

 

X

Depois veio a Paraíba

E com muita velocidade

Falou da programação

Feita na Universidade

O Ceará relatou

Correndo feito motor

Todas as suas verdades

XI

O Maranhão com autoridade

Sobre Educação falou

As dificuldades encontradas

A todo público mostrou

Elogiou a negritude

Nossa cor, nossa raça, nossa virtude

Com carinho, coragem e amor

XII

Pernambuco num fôlego só

Fez a sua apresentação

O Para também com pressa

Deu conta da lição

O importante no final

Foi de uma forma legal

Fomentar a discussão

 

 

 

XIII

A noite lá no Hotel

Voltamos a falar de vida

Com a REDE se expressando

Na força da MARGARIDA

Definindo a Regional

E marcando para Natal

A nossa próxima guarida

XIV

No segundo dia São Paulo

Iniciou a corrida

Pernambuco agora com calma

A escola deu a vida

E o Tortura Nunca Mais

De Santa Catarina trás

História nunca esquecida

XV

E veio Lar de São Domingos

Da terra dos Marechais

Contou histórias bonitas

Envolvendo até os pais

E a Bahia em ação

Falou em ser cidadão

Na terra dos Orixás

 

XVI

Enfim entrou Roberto Monte

Pra rebolar sua tarrafa

Pra falar de cibernética

De REDE, santo e de marrafa

Da DHNET e da guerrilha

Do megafone a pilha

De música, sangue e garrafa

XVII

A Universidade precisa da REDE

Para poder se embalar

Sergipe com muito tino

Assim começou a falar

Completando a oração

Disse que de fato a extensão

Ela tem de realizar

XVIII

Depois o Movimento Sem Terra

Deu um show para os presentes

Falou sobre suas lutas

Que envolve muita gente

E com determinação

Defendeu uma educação

Para o campo coerente

 

XIX

E tudo terminou em festa

Em frevo, paz e alegria

Os participantes brindaram

Dançaram coreografia

Entrelaçaram as mãos

E mostraram que com união

Podemos acabar com a agonia

XX

Termino agradecendo

A todos pela atenção

E em nome da professora Ainda

Deixo a minha gratidão

Por Ter tido esse convite

E com muito apetite

Ter dado minha colaboração

XXI

Espero que em Natal

Nós possamos expressar

Como é que trabalhamos

Com o teatro popular

Ao longo desses anos

Lutando pelos Direitos Humanos

Dia e noite sem parar

 

XXII

Termino estes versinhos

Herança da nossa cultura

Defendendo para o nosso povo

O fim dessa vida dura

Que o Brasil cresça com a REDE

E que derrube as paredes

Herança da ditadura

XXIII

J oguemos pois a semente

U nindo todo país

N ele é que vivemos

I nda como aprendiz

Ontem será sempre ontem

O hoje a história nos diz

S ejamos então fortes

A poiados na educação

N ada de dor ou tortura

T eremos na nossa nação

O nde homens e mulheres

S ejam sempre cidadãos

 

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Planos EDH Nacionais Mundo
Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos
EDH Estados Brasileiros
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Sociedade Civil Educação em Direitos Humanos
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Executivo Educação em Direitos Humanos
Legislativo Educação em Direitos Humanos
Academia Educação em Direitos Humanos
Audios Direitos Humanos
Videos Direitos Humanos
 Academia Educação em Direitos Humanos
I Congresso Educação em Direitos Humanos